5 sintomas de Cisto no Ovário

5 sintomas de Cisto no Ovário

Um cisto no ovário se caracteriza, basicamente, por uma bolha coberta por uma membrana fina, que contém ar ou substâncias líquidas em seu interior.

Os cistos também podem ocorrer nos rins, na pele, no fígado, no pâncreas, nas mamas, no cérebro, nas cordas vocais e diversas partes do organismo.

O cisto, por sua vez, é considerado uma lesão benigna. No entanto, em alguns casos, tumores malignos podem ter um aspecto semelhante ao de um cisto. Por esse motivo, é fundamental fazer uma avaliação cuidadosa por um médico especialista.

Dessa forma, cisto no ovário é um assunto que preocupa muitas mulheres, principalmente aquelas que planejam ou que estão com dificuldade de engravidar.

Embora os cistos sejam considerados normais, a tendência é que desapareçam naturalmente. Por isso, é muito importante também conhecer os sintomas para que se possa identificar a possibilidade de desenvolver um cisto no ovário.

Pensando nisso, elaboramos este post para que você conheça 5 dos principais sintomas da presença de cisto no ovário.

Tipos de Cisto no Ovário

Existem vários tipos de cisto no ovário. Conheça a seguir os mais comuns:

Principais sintomas de Cisto no Ovário

Normalmente, os cistos no ovário não apresentam sintomas e tendem a desaparecer naturalmente após algumas semanas.

Desta forma, muitas mulheres podem ter tido cistos nos ovários e não souberam.

Além disso, é importante ressaltar que os cistos no ovário não causam infertilidade nem provocam alterações menstruais, sendo a endometriose uma das exceções.

No entanto, o cisto no ovário pode provocar sintomas quando, pelo menos, uma das seguintes situações está presente:

Crescimento do cisto no ovário

Quando o cisto cresce muito, a mulher pode sentir alguns sintomas, como, por exemplo:

  1. Dor ou sensação de peso na região pélvica ou abdominal;
  2. Dor durante o ato sexual;
  3. Distensão abdominal;
  4. Enjoos;
  5. Vontade frequente de urinar;
  6. Dificuldade ou vontade súbita de evacuar e ganho de peso.

Ruptura do cisto no ovário

Quando ocorre uma ruptura de cisto ovariano, a mulher pode sentir uma dor súbita e intensa na pelve. Essas rupturas, por sua vez, podem ocorrer devido a um grande esforço físico ou relação sexual.

Em alguns casos, pode haver sangramento vaginal, embora a ruptura de cisto, geralmente, não provoque hemorragias graves.

Torção do cisto no ovário

Nos casos em que o cisto cresce demasiadamente, pode acontecer de ele girar ao redor do seu próprio eixo, causando uma torção.

Nessas situações, a mulher pode sentir uma dor súbita e intensa na região pélvica ou abdominal. Essa dor pode ser tão intensa que causa náuseas e vômitos.

Como já dissemos, na maioria das vezes, o cisto no ovário é assintomático. No entanto, caso seja percebida alguma alteração, é importante consultar um médico para que seja investigada se há presença de cisto.

Nesse sentido, para tentar identificar presença de cisto no ovário, é necessário estar atenta aos seguintes sintomas:

  1. Dor abdominal ou pélvica constante;
  2. Sensação frequente de barriga inchada;
  3. Menstruação irregular;
  4. Dor constante nas costas ou flancos;
  5. Desconforto ou dor durante o contato íntimo.

Além desses sintomas, existem outros fatores que você deve estar atenta, tais como:

Os sintomas também podem variar de acordo com o tipo de cisto. Por esse motivo, é fundamental consultar um especialista para que sejam feitos exames e se possa diagnosticar a presença, tamanho e gravidade do cisto no ovário.

Outro ponto importante a salientar, por sua vez, é que a mulher diagnosticada com cisto no ovário deve ir ao hospital sempre que apresentar dor abdominal acompanhada de febre, vômitos, desmaios, sangramentos ou aumento da frequência respiratória, porque isso pode ser sinal de que o cisto está aumentando de tamanho ou que houve rompimento.

Cisto no ovário: qual o tratamento?

Em mulheres jovens, em idade fértil, a maioria dos casos de cisto no ovário não necessita de nenhum tratamento. Isso porque, geralmente, não apresentam sintomas e tendem a desaparecer sozinhos (dentro de 1 a 2 meses).

No entanto, é importante realizar uma avaliação ultrassonográfica para que o médico possa avaliar se o cisto sumiu ou aumentou de tamanho neste intervalo de tempo.

Nesse sentido, quando o cisto tem mais de 5 centímetros, pode apresentar um crescimento contínuo, provocando sintomas intensos. E, caso tenha uma aparência duvidosa, pode ser recomendada uma cirurgia para remoção do cisto.

Além disso, os cistos de ovário causados por endometriose também necessitam de tratamento cirúrgico para a sua remoção.

Já no caso das mulheres no período pós-menopausa, a avaliação da aparência do cisto deve ser realizada através da ultrassonografia, e exames de sangue ajudam a definir a melhor forma de tratamento.

Se o cisto tiver uma aparência benigna, e o CA 125 for baixo, o médico poderá acompanhar a evolução do cisto com exames de ultrassom a cada 3 ou 6 meses.

Por outras palavras, se o cisto for pequeno, assintomático e claramente benigno, não é necessário nenhum tratamento, apenas um acompanhamento médico adequado e frequente.

Além disso, também é importante ressaltar que, embora os cistos em mulheres com mais idade tendem a não desaparecer naturalmente, a remoção por cirurgia nem sempre é obrigatória.

Por esse motivo, é necessário consultar um médico especializado para uma avaliação mais precisa do caso.

Considerações finais

Na maioria das vezes, os cistos no ovário não apresentam sintomas. No entanto, nos casos em que há aumento do tamanho do cisto, sangramento, ruptura do cisto, torção do cisto ou das tubas uterinas, podem surgir alguns sintomas que provocam dores intensas e súbitas.

Além disso, vimos também que o cisto no ovário, normalmente, tem uma natureza benigna e tende a desaparecer naturalmente. Contudo, às vezes, pode ser necessária a remoção do cisto por meios cirúrgicos.

Por fim, é importante ressaltar que, se você se identificar com algum dos sinais mencionados, é fundamental marcar uma consulta com um especialista para uma avaliação mais precisa.

Leia também nosso Ebook sobre Endometriose e entenda os impactos dessa doença na gravidez!

Autor: Dra. Daiane Pagliarin - CRM 30423
Publicado há 12 meses

mail_outline
A gente notifica você sempre que tivermos novidades. Deixe seu nome e e-mail.

As pessoas também estão lendo...