O congelamento de espermatozóides, óvulos e embriões é uma prática bem estabelecida e realizada na maior parte dos países com instituições dedicadas à reprodução humana assistida.

A técnica de criopreservação de embriões tem apresentado significativos avanços nos últimos anos. Recentemente desenvolvida, o método de vitrificação contribuiu para que as taxas de gestação atingissem patamares animadores. Outra grande vantagem desta técnica é uma menor exposição às substâncias chamadas crioprotetoras, necessárias para o procedimento, mas capazes de prejudicar a qualidade do material congelado.

Uma opção para as mulheres que pretendem postergar o ato de engravidar, seja por razões profissionais, seja por não terem ainda encontrado um companheiro, é o congelamento de óvulos. Através deste procedimento, os óvulos permanecem armazenados em baixas temperaturas (-196Cº) com a idade do momento do congelamento.

É sabido que o avanço da idade da mulher tem impacto deletério sobre a quantidade e, principalmente, sobre a qualidade dos óvulos, diminuindo assim as chances de gravidez e aumentando os riscos de complicações na gestação. Este efeito prejudicial é observado com maior intensidade após os 35 anos, motivo pelo qual preconiza-se a realização do congelamento antes desta idade.

 

PRESERVAR A FERTILIDADE NAS PACIENTES ONCOLÓGICAS

Pacientes portadoras de neoplasias (câncer), em geral, passam por tratamentos radioterápicos ou quimioterápicos que podem resultar em eventos adversos tardios, como a diminuição no número de óvulos, falência ovariana precoce, e perda da capacidade reprodutiva. Dependendo do desenvolvimento do tumor, a remoção dos órgãos reprodutivos (como por exemplo, a ooforectomia – remoção dos ovários) é indicada, afetando parcialmente ou definitivamente as chances de reprodução futura.
Algumas outras doenças, como as auto-imunes (lúpus e glomerulonefrite) ou a Doença de Behcet também podem alterar de forma irreversível a função ovariana, tendo em vista que o tratamento destas doenças é realizado com uma das medicações utilizadas também no tratamento de câncer, a ciclofosfamida.