A 1ª edição do ano do evento Encontros com a Ciência, promovida, neste sábado, pelo Centro de Reprodução Humana Nilo Frantz, com o tema central Desafios da gestação tardia – na reprodução e na obstetrícia, reuniu especialistas em reprodução e ginecologistas. O convidado especial desta edição foi o especialista em reprodução assistida e responsável pelo primeiro bebê de proveta do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Dale, em 1989. O evento movimentou a plateia, e ainda, contou com uma mesa tedonda sobre o tema “Desafios Obstétricos”, com a presença dos ginecologistas Adriana Camozzato Fonte, Cristiano Salazar e Lucas Pacini Teixeira.

De acordo com Dr. Dale, as brasileiras estão se tornando mães mais tarde -, o que já virou rotina nos consultórios dos ginecologistas e lidar com essa realidade é uma necessidade real. “O comportamento está ligado à inserção da mulher no mercado de trabalho e ao maior acesso ao estudo nos últimos anos”, destaca o médico.

Dados recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam uma tendência natural já seguida por outros países, como na Europa e nos Estados Unidos: a maternidade após os 30 anos. No Brasil, o grupo de mães em idade mais avançada também aumenta no país. As mulheres que se tornaram mães entre 30 e 34 somavam 14,4% em 2002. Dez anos depois, em 2012, o grupo representava 19%. Em um recorte regional, os dados revelam que a gravidez tardia é ainda mais frequente no Sul do país (20,7%).