folder-afFolder sobre técnica desenvolvida pela clínica desde 2005 foi distribuído para especialistas durante o 26º Congresso Brasileiro de Reprodução Humana

O Centro de Reprodução Humana Nilo Frantz esteve presente no 26º Congresso Brasileiro de Reprodução Humana, que aconteceu no início de novembro, em Porto Alegre. Durante o evento, especialistas brasileiros e convidados internacionais participaram de debates, mesas-redondas e discussões e tiveram acesso a um material especialmente elaborado pela clínica sobre in vitro maturation (IVM), com informações técnicas e de interesse dos profissionais do setor.

O primeiro nascimento após a IVM sem o uso de qualquer hormônio externo foi relatado em 1991, em um programa de doação de óvulos. Mas foi em 1994 o primeiro caso de gestação seguida de nascimento usando os óvulos da própria mãe, em um caso de ovários policísticos. Desde 2005, a clínica do médico Nilo Frantz vem se dedicando ao desenvolvimento da IVM. Esta técnica tem sido disponibilizada como uma opção aos casais com indicação de fertilização em que a paciente apresenta uma reserva ovariana aumentada e idade de até 35 anos. Diante da sua relação custo-risco-benefício, a IVM se coloca como uma opção eficaz para este grupo específico de pacientes.

Em 4 de agosto de 2008, a menina Nicole foi a primeira criança a nascer no Brasil com o auxílio da fertilização pós-IVM, antes mesmo de países como Portugal e Inglaterra. O tratamento bem-sucedido representou o resultado de três anos de dedicação, pesquisas e desenvolvimento da técnica pelo Centro de Reprodução Humana Nilo Frantz, e o caso foi publicado no Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida (JBRA – volume 12/nº 1/jan-fev-mar 2008). Desde então, mais de 20 crianças nasceram mediante o tratamento com a IVM na instituição.