(A IVM é uma técnica de reprodução assistida especialmente recomendada para mulheres que apresentam ovários policísticos).

Sábado, dia 15 de janeiro de 2016 nasceu o pequeno David, filho de Niruana e Leandro e o novo irmãozinho da Nicole Vitória, de 7 anos! Com 49 cm e 3570 kg, a chegada de David marcou de forma especial não apenas a vida desta família que ganhou mais um integrante, mas também a trajetória da Reprodução Humana gaúcha e brasileira. Em 2008 o casal já havia entrado para a história da medicina por ter gerado o primeiro bebê através da Maturação in vitro de óvulos ( IVM). Esta técnica consiste na captação de óvulos ainda imaturos dos ovários e o seu amadurecimento é realizado em laboratório. Quando atingem o desenvolvimento desejado, os óvulos são fertilizados e os embriões transferidos para o útero da futura mãe.
Passados 7 anos, a família volta ser pioneira! Com o nascimento de David, a mãe Niruana se tornou a primeira mulher brasileira a ter dois filhos através desta técnica inovadora. Toda equipe do Centro de Reprodução Humana Nilo Frantz está feliz e orgulhosa de fazer parte dessa emocionante história.

A saber:
A maturação in vitro é uma técnica de reprodução assistida especialmente recomendada para casais que desejam engravidar e que a mulher apresenta os ovários com padrão policístico. Ao serem submetidas à estimulação ovariana com hormônios injetáveis, o que ocorre na fertilização in vitro tradicional (FIV clássica), algumas destas pacientes acabam desenvolvendo um quadro conhecido como “Síndrome da Hiperestímulação Ovariana”, uma complicação presente em aproximadamente 5% dos casos. Isto porque os ovários aumentam muito de volume e é verificado um acúmulo de líquido dentro do abdômen. Como consequência podem ocorrer dor, inchaço abdominal, náuseas, vômitos e dificuldade respiratória, sendo necessária até mesmo a hospitalização, explica Dr. Nilo Frantz, especialista em Reprodução Humana e responsável pelo tratamento de Niruana nas duas gestações.
Dr. Nilo comenta que o conceito da técnica IVM já existe há algumas décadas, mas só recentemente, com a evolução dos equipamentos de ultrassonografia, de materiais apropriados e, principalmente, de meios de cultura específicos para este fim, é que foram obtidas taxas de gestação animadoras. O Centro de Reprodução Nilo Frantz começou a desenvolver a IVM em 2005 e a primeira gestação ocorreu em 2007, o que resultou no nascimento de Nicole Vitória, o primeiro bebê por IVM do Brasil. Para se ter uma ideia do feito, à época, países como Inglaterra e Portugal ainda não apresentavam nenhum caso bem-sucedido com a técnica.

PARA QUEM É INDICADO A IVM
* Casais com indicação de FIV em que a mulher tem ovários policísticos (micropolicísticos) e menos de 35 anos;
* Mulheres com ovários policísticos que não tiveram resposta aos comprimidos indutores da ovulação (como por exemplo o citrato de clomifeno);
* Mulheres que já tentaram a fertilização in vitro e apresentaram episódio(s) de Síndrome de Hiperestimulação Ovariana.

SAIBA COMO É
1 – Os óvulos são retirados do ovário ainda imaturos através de uma punção com anestesia. Colocados em placa de cultivo, são mantidos durante 24 a 48 horas em condições que reproduzem, em laboratório, as condições ideais para a sua maturação;
2 – Quando os óvulos atingem o seu amadurecimento estão prontos para serem então fertilizados com os espermatozoides do cônjuge;